O São Paulo na Copa do Mundo de 1982
Últimas Notícias

O São Paulo na Copa do Mundo de 1982

Quatro tricolores estiveram com a seleção que encantou o mundo

0 0 0 0
Foto: Arquivo Histórico do São Paulo FC

A Copa do Mundo de 1982, realizada na Espanha, foi a primeira a contar com 24 seleções em disputa na fase final. Formada com seis grupos de quatro times, o regulamento previa uma segunda fase com os dois melhores classificados de cada grupo, formando novas quatro chaves com três seleções cada. Alcançariam às semifinais, então, os líderes dessas chaves.



Outra novidade foi a adoção do sistema de disputa de pênaltis para o desempate de partidas eliminatórias. A FIFA adotou o critério em 1978, mas não havia posto em prática na Copa do Mundo daquele ano.

105 foram as seleções inscritas nas eliminatórias para o torneio. Foi a primeira Copa em que todos os continentes estiveram representados, fato que só viria a se repetir 24 anos depois, na Alemanha. Cinco equipes estrearam nessa edição: Argélia, Camarões, Honduras, Kuwait e Nova Zelândia. Destaque também para União Soviética e Inglaterra, de volta a principal competição mundial depois de 12 anos.



Os ingleses, junto de escoceses e norte-irlandeses quase não participaram do evento devido a Guerra das Malvinas, entre britânicos e argentinos, que eclodiu semanas antes da abertura.

A primeira fase transcorreu sem muitas anormalidades, salvo o pífio desempenho da Itália, que se classificou com três empates, deixando para trás Camarões pelo critério de gols marcados (um a mais), e a irregularidade da então campeã Argentina, que avançou em segundo lugar, no grupo dela, atrás da Bélgica; como também da Espanha, que perdeu o primeiro posto para a Irlanda do Norte, após derrota para o país do Reino Unido.

Na fase seguinte, o Brasil, comandado por Telê Santana e que vinha sendo o grande destaque da competição, com quatro vitórias em quatro jogos, caiu frente a anteriormente cambaleante Itália, por 3 a 2, na conhecida Tragédia do Sarriá. Itália, França, Alemanha Ocidental e Polônia se classificaram para as semifinais.

Paolo Rossi, que já havia marcado três gols contra a seleção brasileira, marcou mais duas vezes e eliminou a França do Mundial, ao passo que a Alemanha superou a Polônia nos pênaltis. Na final, a surpreendente Itália se sagrou campeã ao vencer os germânicos por 3 a 1, novamente com um gol de Rossi, artilheiro daquela edição, com 6 gols.

OS SÃO-PAULINOS



Waldir Peres, Oscar, Serginho Chulapa e Renato foram os representantes do Tricolor na Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo de 1982.

Waldir Peres, após outras duas participações, enfim era o titular da equipe verde-amarela. Com a camisa número 1, esteve em campo nas cinco partidas do Brasil. No Tricolor, o goleiro foi campeão paulista de 1975, 1980 e 1981 e brasileiro em 1977.

Desde o gol de Gérson, na final da Copa de 1970, nenhum são-paulino marcava gol em Copa do Mundo. O tabu teve fim com o tento anotado pelo zagueiro Oscar, na vitória do Brasil por 4 a 1 sobre a Escócia. Tal como Waldir, o camisa 3 da Seleção foi titular e participou de todos os jogos do time na competição.

Se anteriormente existia uma carência de gols são-paulinos no torneio, o fato caiu por terra de vez em 1982. O centroavante Serginho Chulapa, o maior artilheiro da história do São Paulo (com 242 gols em 399 jogos), marcou duas vezes na edição realizada na Espanha: contra Nova Zelândia e Argentina. Como os dois companheiros já citados, o camisa 9 também foi titular da equipe brasileira e disputou todos os jogos com a seleção. Chulapa, pelo clube do Morumbi, foi campeão paulista de 1975, 1980 e 1981 e brasileiro em 1977.

O único são-paulino que não teve chances naquele torneio foi Renato. Com a camisa 19 reservada a ele, contudo, não saiu do banco. Renato foi campeão paulista de 1980 e 1981 pelo Tricolor.

Mário Sergio, atacante, apesar de não ser inscrito na relação final de 22 nomes para a Copa na Espanha, esteve na lista de espera, de 40 nomes, registrada na FIFA. Das relações convocatórias anteriores, somente um jogador não chegou a ser oficializado para Copa do Mundo: o ponta Zé Sergio.
Avalie esta notícia: 10 0

Comentários (3)

09/07/2018 02:59:40 Norton Donato Assis

Zé Sérgio um dos melhores pontas esquerdas do tricolor deveria estar naquela copa, quem não lembra os locutores falando, " Entorta ele Zé" kkk

08/07/2018 17:11:51 Leonardo Oliver

08/07/2018 15:28:29 Paulo Henrique Sampaio

Quem fez a materia esqueceu dio Getulio.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.